Crise faz Uerj suspender prova específica de português



O exame discursivo do vestibular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro deste ano não vai ter prova de português. A decisão foi tomada como uma medida para conter os gastos do processo seletivo. Com a mudança, a segunda fase de seleção da Uerj vai ter três provas: uma de redação para todos os candidatos, e, de acordo com o curso escolhido, duas provas de disciplinas específicas.

O diretor do departamento de seleção da universidade, Gustavo Krauser, explica que as provas discursivas normalmente são feitas e corrigidas com a verba sobressalente das taxas pagas pelos candidatos na prova objetiva. Como este ano, o número de alunos inscritos caiu pela metade, a instituição decidiu suspender a prova discursiva de português.

“A taxa de inscrição do exame discursivo normalmente não é suficiente para pagá-lo. Por isso, a gente usa a verba do primeiro exame, que é o que tem o maior número de inscritos, para pagar o exame discursivo. Só que caiu para menos da metade, do ano passado para esse ano, o número de inscritos. Então se tornou arriscado para a gente fazer o modelo discursivo nos mesmos moldes, porque a gente poderia não ter condições de pagar as pessoas e de pagar toda a infraestrutura”, afirmou Gustavo Krauser.

Neste ano, apenas 35 mil e 600 estudantes se inscreveram no vestibular da Uerj, menos da metade dos 80 mil que prestaram o vestibular no ano passado.

A leitura do livro “Dom Casmurro”, prevista para ser avaliada na prova discursiva de português, vai ser avaliada na prova de Redação, já que o tema será uma questão polêmica levantada pelo romance de Machado de Assis. A leitura do livro, segundo a instituição, vai ajudar o candidato a produzir o texto.

Band News FM